27 agosto, 2019

Pequenos negócios criaram, em julho, 95% das vagas de trabalho de todo o país

Levantamento feito pelo Sebrae, com dados do Caged, mostra que as micro e pequenas empresas geraram mais de 41 mil novos empregos com carteira assinada.

O total de vagas abertas pelos pequenos negócios é 50 vezes maior que o saldo de empregos gerados pelas médias e grandes empresas neste ano.

Puxaram esse saldo positivo os pequenos negócios do setor de Serviços, com 20 mil postos de trabalho, tendo destaque o ramo imobiliário (15,2 mil). Em seguida vem as micro e pequenas empresas da Construção Civil com a geração de 14 mil novas vagas.

No acumulado de janeiro a julho deste ano, os pequenos negócios do setor de Serviços também se destacam na geração de empregos, sendo responsáveis pela criação de 273,1 mil novos postos de trabalho, 62,4% do total de postos criados por esse nicho de empresas no período.

Professor SA

Já as MPE ligadas ao Comércio continuam registrando saldo negativo de emprego, com o fechamento de 44,1 mil vagas, o que significa que mais demitiram do que contrataram nos primeiros sete meses de 2019.

Professor SA

São Paulo segue liderando a geração de empregos em julho deste ano, com a criação de 12,8 mil novas vagas, seguido por Minas Gerais, com saldo positivo de 7,5 mil empregos. Com isso, a região Sudeste registrou o maior volume de postos de trabalho no mês passado no país, com mais de 20 mil novas contratações. A região Centro-Oeste assumiu a segunda posição no ranking regional, com a geração de 6,7 mil vagas.

“Mais uma vez os pequenos negócios mostram que o segmento é uma alavanca da economia do país e ressalta, desta forma, a importância que tem na geração de empregos e renda”, afirmou o presidente do Sebrae, Carlos Melles. “É mais um motivo para investirmos na melhoria do ambiente de negócios do setor, diminuindo a burocracia e incentivando a competitividade e a produtividade das micro e pequenas empresas”, acrescenta.
Fonte: Sebrae

Quantas horas do dia você já perdeu por que não domina as mudanças da Reforma Trabalhista?

Uma das grandes novidades da Reforma Trabalhista foi a regulamentação do trabalho intermitente, formalizando o famoso “bico”, aquele trabalho feito eventualmente e sem proteção social.

Essa nova modalidade tem gerado muitas vagas de emprego, conforme divulgado mensalmente no Caged.

Mas você conhece todos os detalhes que este tipo de contrato possui? Como por exemplo, o que compõe a  remuneração?

Se você ainda está perdido em relação às obrigações do Contrato de Trabalho Intermitente, não se desespere!

A Nith tem um curso para você ficar 100% seguro para cumprir corretamente a legislação desse tipo de contrato. Clique aqui e garanta sua vaga no Curso Contrato de Trabalho Intermitente na Prática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *